A Associação Empresarial de Águeda (AEA) em carta dirigida ao ministro das Finanças volta à carga com o pedido de eliminação da tributação, em sede de IRS e de Taxa Social Única, das horas de trabalho suplementar.

Na missiva, Ricardo Abrantes, presidente da direcção da associação, lembra a “importância que tal proposta tem para a retoma económica do país”, atendendo ao facto de haver “picos de encomendas que têm que ser satisfeitos em prazos muito reduzidos e tal só se consegue com o recurso a trabalho suplementar”.

(informação completa na edição impressa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.