“As empresas da região necessitam de técnicos em variadíssimas áreas e não há pessoas para nelas trabalhar”, o alerta foi deixado por Ricardo Abrantes, presidente da Associação Empresarial de Águeda (AEA), no seminário ensino profissional e empregabilidade, promovido pela Marques de Castilho.

O empresário e dirigente referiu-se, nomeadamente, à falta de torneiros, lembrando que “hoje os tornos são quase todos CNC pelo que já não é uma profissão suja”, mas também serralheiros mecânicos e electromecânicos, técnicos de manutenção de electricidade e técnicos de manutenção industrial.

(informação completa na edição impressa)

Um comentário

  1. Headhunter_2022

    Outubro 30, 2022 às 11:51

    A culpa nao e so da crise economica, que levou o desemprego a 11,8% no terceiro trimestre deste ano, segundo o IBGE, mas do perfil dos recem-formados. Eles se concentram em poucas areas e, quando buscam uma vaga, percebem que nao ha tanto espaco para as mesmas funcoes. A analise foi feita pelo economista e professor da USP Helio Zylberstajn, a partir de um cruzamento de dados do Censo do Ensino Superior e da Rais (Relacao Anual de Informacoes Sociais), do Ministerio do Trabalho.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.