Em vésperas de comemorar os seus 15 anos de actividade, o RA falou com Augusto Gonçalves, presidente da direcção do Conservatório de Música de Águeda, para fazer o balanço destas quase duas décadas de vida da instituição e falar dos projectos para o futuro.

P> Este ano o Conservatório de Música de Águeda registou um aumento de inscrições. Significará isso um reconhecimento da qualidade do ensino ministrado pela instituição?

R> Pensamos que o reconhecimento da qualidade do ensino ministrado tem influência numa maior adesão à nossa escola. O ensino articulado já existente anteriormente e pela grande divulgação que fizemos junto das escolas ditas normais, teve aumento significativo e que registamos com muita satisfação.

P> O Conservatório reúne actualmente boas condições físicas?

R> Actualmente, o Conservatório de Música de Águeda não tem, em termos de condições físicas internas e no tocante a qualidade, qualquer problema. No que se refere a espaço não poderemos dizer o mesmo, mas temos algumas ideias em mente. No tocante à parte exterior, estamos muito mal, mas para além de não ser da nossa responsabilidade, estamos esperançados que durante o corrente ano será resolvido.

(entrevista completa na edição impressa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.