Manuel Silvestre, coordenador do Plano Nacional de Ecopistas, referiu que a ecopista do Vouga “está ligeiramente mais atrasada” relativamente às que têm sido instaladas em linhas ferroviárias desactivadas em todo o país. Justificou pelo facto de, não tendo havido um esquema director criado aquando da desactivação do caminho-de-ferro, houve partes da linha foram ocupadas, nomeadamente por estradas.

Foi o que aconteceu em Águeda, mas “está previsto fazer uma ligação utilizando a própria rodovia, é uma questão de projecto de execução”, garantiu.

“Relativamente a Sever do Vouga, Vouzela e Oliveira de Frades temos contratualizado tudo com os municípios. Estamos em negociações com a Câmara de S. Pedro do Sul e com Viseu está tudo bem”, acrescentou, fazendo votos para que também a ecopista do Vouga possa ser ajudada pelo QREN.

(informação completa na edição impressa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.