Na jornada que marcou o regresso de Fernando Pereira ao comando técnico do Recreio de Águeda – com um triunfo precioso face a um adversário que apenas perdera nas duas jornadas iniciais -, o Mourisquense confirmou em Oiã que a crise chega a todos, até a clubes que se habituaram a ser uma referência da região no cumprimento dos compromissos assumidos com os planteis.

Foi polémica a semana em Oiã, com os jogadores a recusarem-se a treinar mediante o corte total dos subsídios, excepto os prémios de jogo. E apenas três se dispuseram a acompanhar os juniores do clube, que defenderam o emblema como puderam. Pois se nem na II divisão distrital, e no seu escalão, a equipa se revela competitiva (penúltimo na série E, com 18 golos marcados e 30 sofridos em 9 jogos), antecipe-se agora o papel que lhe está reservado nos jogos a doer na categoria sénior…

Quanto ao Fermentelos, saiu da Mealhada com razões de queixa da arbitragem. Domingo, recebe o líder, enquanto o Águeda tem compromisso difícil na Gafanha e o Mourisquense recebe a Ovarense, que acaba de ‘despejar’ o Estarreja da liderança.

 

 

 

Jornada 11.

 

 

(informação completa na edição impressa)

Águeda supera (2-1) Paços de Brandão; Mourisquense goleia (6-1) em Oiã; Fermentelos derrotado (1-3) na Mealhada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.