Hilário Santos, deputado do PSD na Assembleia Municipal de Águeda, acusou o presidente deste órgão, António Celestino de Almeida, de ser conivente com o presidente da Câmara Municipal, Gil Nadais. Em causa está a deliberação de uma sessão anterior da AM, em que foi aprovado o envio de documentação para o IGAL – Inspecção Geral da Administração Local – a propósito das transferências indevidas a funcionários.

“As coisas não têm corrido bem e, se neste caso parou a Câmara para responder às questões que colocámos, falta cumprir a decisão, aprovada por esta Assembleia Municipal a 24 de Março, de enviar ao IGAL a acta sobre as transferências indevidas a funcionários, cujos prejuízos para o município ascendem a 390 mil euros”.

Hilário Santos acusou depois o presidente da Assembleia Municipal de “passividade” e de “conivência” por não ter sido cumprida a deliberação de remeter os documentos sobre aquele processo ao IGAL – Inspecção Geral da Administração Local -, acusações que Celestino Almeida procurou refutar, argumentado com as funções que lhe estão conferidas pela legislação. Hilário Santos insistiu: “Caberia ao presidente da Assembleia Municipal dar cumprimento ao que foi aprovado a 24 de Março”.

(informação completa na edição impressa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.