O presidente do Recreio de Águeda, António Isaías, estava a par de “todos os motivos” que levaram ao despedimento dos jogadores Ribeiro e Sucena, na semana passada, e “o afastamento foi concordância dele”. Quem o afirma é José Eduardo, o treinador demissionário do clube, esta semana substituído por Rui Correia.

“Eu não posso admitir ouvi-lo a defender os ex-empregados e ouvi-lo prejudicar indirectamente o treinador da sua equipa só para ficar bem perante os sócios e perante as pessoas que o pressionaram”, referiu José Eduardo. “O presidente não tem que se descartar em mim, porque ele é quem mais manda e ele não os queria lá; como não quer outros que ainda estão no clube, que como ele dizia é um grupinho comandado de fora por ex-dirigentes”.

“O momento é para acalmar a equipa, que precisa de estabilidade e de sossego”, referiu entretanto António Isaías ao RA. Sobre a dispensa, disse apenas que as coisas se alteraram.

(informação completa na edição impressa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.