Paulo Pereira, o novo presidente da Juventude Popular (JP) de Águeda, criticou a gestão do executivo de maioria socialista da Câmara Municipal, dizendo que “construir um centro de artes e espectáculos de três milhões de euros num município que possui 2150 desempregados, que possui freguesias que não dispõem de um único metro de saneamento básico, que possui dezenas de povoações que não têm sequer água canalizada ou onde se fecham extensões de saúde para reduzir na despesa, é para nós uma afronta e garanto-vos a todos que a Juventude Popular de Águeda bater-se-á até ao fim para que tal não suceda”.

O dirigente falava durante a tomada de posse do seu elenco, recentemente eleito, na presença do líder nacional do CDS/PP, Paulo Portas.

(informação completa na edição impressa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.