Os projetos vencedores do Mosaico – Mostra de Arte e Cultura de Oliveira do Bairro vão ser apresentados ao público, em formato vídeo, entre 21 de abril e 9 de junho.

Das dez candidaturas apresentadas a este programa de apoio municipal, oito cumpriram com os critérios de avaliação definidos, que passaram pelo valor artístico, rigor na calendarização, viabilidade económica e ligação do projeto ao concelho e à comunidade.

 Os projetos aprovados vão receber um apoio financeiro que varia entre os 250 e os 1.000 euros, para além da realização de um vídeo que será publicado nos vários suportes de comunicação digital do Município, gravado em espaços e locais emblemáticos do concelho de Oliveira do Bairro.

 O primeiro vídeo será publicado no dia 21 de abril, apresentando o projeto intitulado “Ibero-América em Seis Cordas”, de Fernando Tona, gravado no Auditório de Oiã. No dia 28 será a vez de “Radio Soul Land”, de Beatriz Miranda, Bruno Alves, Micael Lourenço e Tomás Roça, gravado na Radiolândia – Museu do Rádio. Já em maio, no dia 5, Mafalda Carvalho apresenta-se com “Solo”, gravado no Museu de Etnomúsica da Bairrada, seguindo-se o projeto “Lampyris Machina”, de Miguel Estima, no dia 12, gravado no Parque da Cidade, em Oliveira do Bairro, e “Piano do Bairro”, de Mariana Miguel, no dia 19, gravado no Conservatório de Música da Bairrada. A 26 de maio, Mónica Jesus apresenta “Fado em Casa”, gravado na Igreja Matriz de Oiã. Miguel Estima e Vasco Miranda “abrem” o mês de junho, no dia 2, com “WelD”, gravado na Cerâmica Rocha, e Mariana Miguel e Beatriz Vieira encerram a primeira edição do Mosaico – Mostra de Arte e Cultura de Oliveira do Bairro, no dia 9, com “Janela para o Ninho”, gravado no Quartel das Artes.

Todos os vídeos serão publicados às 21h30, na página de facebook e canal de youtube do Município de Oliveira do Bairro.

Lília Ana Águas, vereadora da cultura da Câmara de Oliveira do Bairro, recorda que esta iniciativa teve como objetivo “apoiar os artistas do concelho, nomeadamente aqueles que sofreram uma quebra de rendimentos, ou suspenderam a sua atividade artística em 2020, devido à pandemia da covid-19”.

De acordo coma autarca, a Câmara de Oliveira do Bairro tem acompanhado a situação dos agentes culturais do município e “procurado encontrar soluções imaginativas”, tendo em conta as restrições impostas pelo combate à pandemia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *