O presidente da Associação Empresarial de Águeda (AEA), Ricardo Abrantes recusa um cenário catastrófico do estado da indústria em Águeda, mas vai dizendo que se não houver uma inversão de rumo, 2009 “poderá vir a ser o pior ano de todos os tempos da economia portuguesa”.

Segundo o responsável da associação, algumas empresas em Águeda “vivem uma situação crítica”, mas isso não reflecte, segundo o dirigente, o que se passa na generalidade da indústria aguedense.

“Os casos mais críticos são poucos, estão perfeitamente identificados e são casos que já se arrastam há algum tempo, o que não quer dizer que a situação não se possa a vir agravar muito num curto espaço de tempo”, sublinha o presidente da direcção da AEA, considerando que parece “haver em Portugal um plano secreto para acabar com o empreendedorismo”.

(informação completa na edição impressa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.