O presidente do Recreio de Águeda, António Isaías, suspendeu o mandato desde ontem (17 de Abril) até 11 de Maio, após a última jornada do campeonato nacional da III divisão, na sequência da tomada de posição dos jogadores da equipa sénior do clube (ver peça anterior).

A eventual demissão do dirigente era um cenário que não agradava a Eleutério Costa, presidente da assembleia geral do clube, pelo que a suspenção do mandato foi a decisão que permitiu desbloquar o impasse, verificado desde terça-feira (dia 14 de Abril).

Os jogadores assumem os quatro jogos finais, apoiados por um grupo de adeptos do clube que os auxiliarão na logística. “Pedimos o apoio aos amigos do Recreio e que os mesmos compareçam nos jogos, porque queremos ficar na III divisão”, referiu o capitão de equipa, Zé Miguel.

No fundo, os jogadores confiam de que com a suspensão de mandato por parte de Isaías algumas adeptos e amigos do clube irão aproximar-se da equipa. Frisam, porém, que aquele dirigente não irá “lavar as mãos” em relação aos compromissos assumidos para com os jogadores e ainda não cumpridos.

A ameaça de ruptura entre a equipa sénior do Recreio de Águeda e o polémico presidente do clube pairava há várias semanas mas o clima adensou-se em definitivo após a ida de Isaías ao balneário, na passada terça-feira.

A suspensão de mandato de Isaías não tem reflexos no futebol juvenil pois já eram os pais a suportar toda a actividade desenvolvida, apesar das mensalidades exigidas e que estiveram na base de profundas divergências internas nos últimos meses.

Este é, de resto, um momento sem paralelo na história de 85 anos do Recreio de Águeda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.