A edição da semana do Região de Águeda destaca o momento por que passa o setor da saúde no município, a exemplo aliás do que se tem assistido no país.

Da Assembleia Municipal, que discutiu a situação por que passa o Hospital de Águeda, às unidades de saúde do concelho, o panorama desencadeia reações das populações e das forças políticas. No meio está a forma como o cidadão se vê impedido de aceder aos cuidados de saúde e como tem sido tratado.

O Região de Águeda publica uma entrevista com o presidente da Banda Alvarense, José Lopes, que afirma ser “difícil de compreender a recusa do Delegado de Saúde em retormarmos os ensaios”.

O dirigente, recentemente eleito para segundo mandato, fala em grandes dificuldades. “Vivemos um desafio enorme de cumprir com os compromissos, mesmo estando reduzidos ao mínimo”.

A importância das bandas filarmónicas no município de Águeda e na educação das novas gerações foi tema, aliás, no encontro anual da União de Bandas de Águeda (UBA), realizado este ano em condições especiais devido à situação pandémica.

O apoio concedido pela Câmara de Águeda às associações culturais e juvenis do município, no valor de 67.883 euros, é outro dos temas destacados na primeira página.

O apoio à reconstrução do auditório da Senhora da Saúde, em Fermentelos, foi aprovado à condição na Assembleia Municipal de Águeda, com muita discussão à mistura.

O Região de Águeda destaca ainda o arquivamento do processo contra Edson Santos na sequência da viagem ao Japão efetuada pelo atual vice-presidente da Câmara de Águeda quando era vereador do executivo anterior, presidido por Gil Nadais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *