“O PCP vê com alguma preocupação o anúncio da administração do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV) , que decidiu cancelar as cirurgias nos hospitais de Águeda e Estarreja por 15 dias, para que possam reforçar, com médicos, enfermeiros e assistentes operacionais, as equipas afectas às enfermarias COVID”, refere o Partido Comunista Português em comunicado.

Os comunistas adiantam que tomaram conhecimento da “situação limite do serviço de urgência, dado o aumento dos contágios, estando os trabalhadores da saúde em situação de cansaço extremo que não os afeta só a eles, mas também se reflete no atendimento aos utentes”.

O PCP adianta ainda estar “ciente que esta é uma situação excecional, inserida no combate à pandemia” e que por ser uma situação de exceção “merece medidas excecionais que tardam em chegar”.

Considera o PCP que “esta situação é fruto do ataque ao Serviço Nacional de Saúde, que se tem intensificado ao longo dos anos. A resposta a esta situação passará sempre pelo reforço dos serviços públicos, em trabalhadores e em meios materiais”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *