A Comunidade Portuária de Aveiro alterou os seus estatutos para admitir trinta empresas como novas associadas e a direcção passa a ser presidida por Nogueira Leite(CUF), em resultado das eleições hoje realizadas.

A assembleia da Comunidade Portuária ratificou a admissão de trinta empresas e três associações, após a alteração aos seus estatutos operada para poder acolher empresas no seu seio.

Já com os representantes dos novos membros foram eleitos os corpos sociais, passando a direcção a ser presidida pela CUF e tendo por vogais a Administração do Porto de Aveiro(APA), a Câmara Municipal de Ílhavo, a Associação das Empresas de Estiva e os estaleiros da Navalria. A presidência da mesa da assembleia geral continua a ser assumida pela Câmara Municipal de Aveiro e o conselho fiscal passa a ser presidido pela empresa Pascoal e Filhos, SA.

Em conferência de imprensa após a assembleia geral, o presidente da Administração do Porto de Aveiro(APA), José Luís Cacho, considerou a abertura da Comunidade Portuária às empresas “um passo importante no objectivo da dinamização” da estrutura portuária.

 “Precisamos de um parceiro forte para o desenvolvimento sustentado do Porto de Aveiro”, comentou o presidente da APA.

 Nogueira Leite, eleito presidente da direcção, elogiou “a atitude positiva de virar a Comunidade Portuária para os seus utilizadores, trazendo uma visão integrada em que as empresas interagem com a sociedade civil e os agentes portuários”.

“A CUF esteve na constituição da lista a que aceitou presidir por o Porto de Aveiro ser uma infra-estrutura ímpar para o ‘interland’ do centro do país e de Castilla e Leon e porque tem a sua actividade muito centrada no pólo químico de Estarreja que depende do Porto de Aveiro”, justificou.

Segundo o administrador da CUF, os portos de Aveiro e Sines são essenciais para o grupo, sendo pelo Porto de Aveiro que é exportada grande parte da produção de Estarreja para Roterdão e pelo Porto de Aveiro que entram as matérias primas, devido à falta de pipelines.

Para o novo presidente da Comunidade Portuária, “é importante trazer a população para o porto e tornar mais visível o seu papel” e que haja uma interacção permanente “entre utilizadores e gestores da infra-estrutura portuária”.

“Poderemos todos melhorar significativamente ainda mais as condições do Porto de Aveiro e ter aqui uma das melhores âncoras de desenvolvimento da região e do país”, concluiu.

Ribau Esteves, presidente da Câmara de Ílhavo, comentou que “a aposta da APA de passar a liderança às empresas marca a maturidade do Porto de Aveiro e é uma aposta sólida, assente nas opções de investimento que as empresas farão na infra-estrutura portuária”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.