O gabinete And.Ré Arquitectura, dos arquitectos Bruno André e Francisco Ré, que concebeu a proposta vencedora do concurso de ideias promovido pela Câmara, fala sobre os “factores inovadores” que o edifício encerra, em entrevista ao RA (ler na edição impressa).

“Achamos que o edifício não pode ser limitador de usos, mas sim potenciador de acontecimentos diversos”, refere Bruno André, na entrevista (páginas 2 e 3), para considerar ainda que “o edifício não se impõem sobre a envolvente, tenta sim dialogar com esta na sua escala e desenho, mantendo ao mesmo tempo uma imagem apelativa e contemporânea”

Segundo aquele arquitecto, “a nossa proposta pode, e foi claramente idealizada para, cumprir as limitações orçamentais inerentes”. A obra, de acordo com o município – que vai agora negociar com os três primeiros classificados do concurso de ideias -, não deve ultrapassar os 3 milhões de euros.

(entrevista completa na edição impressa)

Um comentário

  1. Carlos Ré

    Agosto 25, 2010 às 15:14

    Parabéns ao Município de Águeda por ter a breve prazo um edíficio tão belo e “potenciador de acontecimentos” (palavras de Bruno André).
    “Porque a vida evolui quando a mesma acontece”
    Carlos Ré

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.