Sem transparência nem solidariedade, sem respeito nem garantias (para poder pagar no fim do mês). Com esta e outras acusações, José Neves dos Santos, vice-presidente da assembleia geral do Recreio de Águeda, coloca em causa a legitimidade de António Isaías em prosseguir no cargo de presidente da direcção e solicita medidas ao responsável máximo do clube, o presidente da assembleia geral.

Trata-se do último “braço direito” do presidente da direcção do clube, no cargo há três épocas, depois de uma série infindável de dirigentes que abandonaram o clube em desavença com Isaías.

Com acusações graves, enviadas em carta registada para o presidente do clube, que entretanto se encontra ausente vai para duas semanas, José Neves do Santos fala de um “quadro irresponsável e até surrealista”.

(informação completa na edição impressa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *